profile

Os 7 Melhores Doces de Pelotas

Cooking and Gastronomy
profile
Meu nome é Sonnia Pires, sou natural de Pelotas no Rio Grande do Sul, e vou falar um pouco sobre a tradição doceira da cidade, que existe a mais de 100 anos e como ela impactou minha vida.
A tradição doceira de Pelotas é antiga, e iniciou com a colonização dos Portugueses, que começaram a produzir Charque na região, tornando a cidade muito rica. Os doces sempre estiveram presentes na minha história desde a infância, quando via fascinada minha mãe os fazendo. Quando cresci me tornei professora, mas a paixão pela tradição doceira continuou em mim. Foi então que decidi no ano de 1995, comecei a trabalhar com confeitaria profissional. Eu iniciei fazendo aos poucos, levando doces de presente para amigos, aniversários e almoços. Minha mãe chamava isso de comércio “formiguinha” que devagarinho um vai contando para o outro. O negócio foi crescendo cada vez mais, e hoje faço doces por encomenda para festas, casamentos e formaturas. A minha oficina de trabalho é a minha cozinha, que também é minha casa. É nela que eu faço os doces que minha mãe me ensinou, e que mantenho viva a nossa tradição. Minha professora foi minha mãe Sofia Pires, que trabalhou com doces tradicionais durante muito tempo, eu não me lembro que ano foi que ela começou porque eu era criança, mas foi em meados dos anos 60. Eu trabalho sozinha, sem nenhum ajudante. Há algum tempo, uma revendedora de carros que comemorou os 50 anos fez um coquetel e eu fiz sozinha 4.000 doces. E fiz tranquila, porque quando a gente faz o que gosta, a gente se sente feliz com o que faz. Não ensinei o que aprendi para ninguém e eu quero deixar um legado. O meu legado será esse curso, para as pessoas verem que o doce de Pelotas é muito bom, não é nada complicado de fazer, se as pessoas estiverem dispostas a aprender e usar os melhores produtos.
  1. Advantages
  2. Details
  3. Content

Os doces foram uma alternativa para usar meu tempo e minhas habilidades com algo que eu gosto de fazer, e ao mesmo tempo aumentar a minha fonte de renda e não ter que ficar poupando moedinhas. Quando termino de fazer uma encomenda, olho a caixa cheia de doces, todos lindos e feitos pelas minhas mãos, me realizo nisso e acho maravilhoso. Eu trabalho sozinha, sem nenhum ajudante. Há algum tempo, uma revendedora de carros que comemorou os 50 anos fez um coquetel e eu fiz sozinha 4.000 doces. E fiz tranquila, porque quando a gente faz o que gosta, a gente se sente feliz com o que faz.

Uma vez por intermédio de uma prima, uma aluna da faculdade Ulbra de Porto Alegre veio a Pelotas cobrir a Fenadoce. Ela queria entrevistar doceiras e assistir uma aula de doces, para matéria que ela ia fazer. Então ela escolheu o doce Camafeu, e eu fiz. Por fim, ela me perguntou como eu me sentia sendo doceira e eu respondi: Eu me sinto como um escultor, que pega um bloco de mármore e faz maravilhas. Assim como um escultor, eu pego: Nozes, açúcar e água e faço um doce maravilhoso como o Camafeu.

Advantages

7-day warranty

Digital Completion Certificate

Frequently Asked Questions